Páginas

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Quando não me arrependi em não ir ao jogo

Voltei ao blog para dizer que não fui ao jogo de ontem. Passei a tarde inteira ajudando o parceiro de samba Guilherme Lacerda na produção de seu DVD "Canto pra nação" (por sinal, ficou bom pra cacete!). Dentro do camarim acompanhava junto aos músicos o empate entre Vasco da Gama e São Paulo.

Logo, sofria em dobro. Era o Vasco apertando o São Paulo e eu perdido sem notícias de Corinthians e Avaí. Eis que outro companheiro, Nego Washington entra no camarim transtornado, bravo... Dizia ele: "Se o Corinthians perder hoje o barato vai ficar 'loco', tá 1 a 0 para o Avaí".

Fiquei decepcionado, mas ao lado, o personagem central deste texto (que diga-se de passagem marca minha volta ao Paixão) deu o toque e me acalmou: "O Corinthians é dose, quando tem que ganhar, não ganha. Lembro que quando comecei a frequentar os estádios vi uma derrota por 7 a 0 para a Portuguesa..."

Assim continuava o grande sambista paulistano Osvaldinho da Cuíca a discorrer sobre a desgraça que se anunciava: mais uma rodada fora da liderança. Não sei se tratei o mestre sem respeito, mas lembrei do fone de ouvido no bolso e liguei o radinho do celular.

Após cinco minutos sofrendo pelas ondas do rádio, Emerson Sheik empata a partida após um belo passe de Willian. Grito gol, Osvaldinho abre um sorriso e aceita meu convite em pegar um dos fones e ouvir a narração.

Tudo havia mudado, o cenário era outro. Esqueci do jogo do São Paulo, só pensava no segundo gol. Mas outra ideia passou pela cabeça. Porra! estou assistindo ao jogo ao lado de Osvaldinho da Cuíca. Torcia pela vitória, mas também pela chance de escrever sobre o encontro e com três pontos na conta alvinegra.

Mais um tempo se passou e Liedson, de forma chorada virou. Levantei e sai do camarim... Quando voltei à sala onde os músicos estavam Osvaldinho sorria e eu anunciei: "Liedson, 2 a 1 Coringão".

O jogo estava para acabar e Guilherme já chamava os músicos para a passagem de som. Íamos deixar o futebol e voltar à música. Afinal, era para isso que estávamos lá. Me antecipei e quando Osvaldinho levantava da cadeira com sua cuíca pedi a foto.

Osvaldinho ao centro (sorrindo com a vitória), Guilherme Lacerda, também corintiano, à esquerda do mestre cuiqueiro e eu. Para completar a foto e deixar a memória e este texto mais gostoso ainda de ser escrito, a tabela do campeonato deu as caras na hora do clique.

Foi tudo completo, bom show de Guilherme, boas lembranças com Osvaldinho, e o Coringão ali na ponta da tabela! É... existem coisas que só o samba e o futebol proporcionam para a gente...

Para finalizar, o próprio Osvaldinho tocando o hino do Corinthians com sua cuíca.

A pátria de Oscar

Para alívio de uns e tristezas de outros, o Pan de Guadalajara acabou! E um dos destaques desses jogos foi o agora comentarista Oscar Schmidt, o Mão Santa. Após duas derrotas inacreditáveis do Brasil contra o time F dos EUA e para a República Dominicana, após estar ganhando ambos os confrontos por mais de quinze pontos, Oscar diz que os jogadores brasileiros o traíram, que era um desrespeito com o país.

Na seção do Paixão que denomino como "Grandes Entrevistas", Oscar Schmidt fala de sua carreira, seleção brasileira, Leandrinho, Nenê e as Olímpiadas de Londres. Vale conferir! Entrevista realizada por Eduardo Ribeiro, Lucas Bueno, Pedro Sciarotta e Rafael Regis.


quinta-feira, 27 de outubro de 2011

O desce e sobe de Kaká


Ricardo Izecson dos Santos Leite, sofreu uma séria contusão ainda quando era apenas um dos juniores do São Paulo. A fratura que para muitos podia prejudicar o desenvolvimento do menino ainda Cacá, foi apenas um dos obstáculos que ele teria q superar em sua carreira.

Cacá não demorou a mostrar que era diferenciado, ao marcar dois gols na final do Rio-São Paulo e levar o tricolor ao título sobre o Botafogo. Daí em diante o jogador começou a se consolidar e rapidamente passou de promessa para realidade. Sua ascensão foi tão meteórica, que em pouco mais de um ano como profissional foi lembrado por Felipão para integrar o grupo campeão da Copa de 2002.

Se não teve quase nenhum papel na equipe pentacampeã, era um dos principais jogadores na fatídica campanha de 2006. A seleção foi tão mal na Copa da Alemanha, que assim como Adriano, Ronaldinho Gaúcho e a maioria dos jogadores presentes em 2006, Kaká viu seu futebol ser colocado em cheque pela maioria.

Ao invés de se abater, Kaká foi à luta e usou o fato como combustível para fazer sua melhor temporada e ser eleito o melhor do mundo em 2007. Nas temporadas seguintes, continuou sendo protagonista no Milan e mantendo o nível das atuações, até ser contratado em 2009 para a nova geração de galáticos do Real Madrid.

Em 2010, nova convocação para uma Copa do Mundo. Convocado para ser protagonista, não desempenhou o papel que era esperado e teve fraca atuação em mais um mundial. O baixo nível apresentado durante o torneio e a notícia de uma contusão eterna, pareciam colocar fim a carreira de Kaká.

Os sete meses que ficou afastado dos gramados, depois da Copa da África, só ajudavam a levantar mais dúvidas sobre o atleta. Eis que, mais uma vez ele se levantou e voltou a jogar, ainda que não no nível que era esperado.

Se inicialmente foi Mourinho quem quis sua venda e teve ela barrada pela diretoria, no segundo momento os papéis se inverteram e o treinador pediu para que os mandatários não negociassem o jogador. A confiança do técnico e a vontade de mostrar seu futebol para os merengues, fazem bem a Kaká que acostumado a ter seu futebol questionado e convivendo com sérias contusões desde pequeno, parece dar nova volta por cima. Suas atuações no começo de temporada no Real Madrid fazem justiça à primeira convocação para a seleção sob o comando de Mano Menezes.

Amarrado no bigode português


Jorginho é o nome da moda. Inevitavelmente será mais assediado do que mulher adúltera neste final de 2011. Sei que o atual técnico da Lusa já mostrou sua cara em outros clubes, mas foi na Portuguesa que ele confirmou realmente ser capacitado, altamente capacitado. Tenho lá minhas dúvidas sobre a permanência dele no Canindé. Acho que só fica se considerar MUITO o clube, o que seria raro mesmo se tratando de uma pessoa de caráter que não deixa dúvidas.

O fato é que na última terça-feira eu estive no programa Encontro de Craques, do canal BandSports, e ouvi da boca do presidente da Portuguesa, Manuel da Lupa, que Jorginho não tem contrato assinado com o clube. É TUDO NA LÁBIA, amarrado no bigode português.

Amigos, isso aumentou ainda mais meu ceticismo sobre o “Eu fico” do treinador. O mandatário disse também que por duas vezes já tentou sentar para conversar, contudo o técnico sempre adia a tal da conversa. Sei não...

No meu entender, eu não sei o porquê de o São Paulo não ter ido atrás de Jorginho antes de retroceder no tempo e convidar Leão. Quando pegou um Palmeiras esmiuçado, o treinador colocou o time nos trilhos rapidamente. Não seria esta a solução ideal, já pensando em 2012?

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

O comovente gol de Maurine

Fiquei mais do que arrepiado com o gol da Maurine, que classificou a Seleção Feminina para a decisão. Me comovi de verdade com a emoção que transbordou da lateral-direita. Um sentimento puro que mudou suas feições, a fez chorar, correr sem rumo.
Maurine perdeu o pai na segunda-feira, um dia antes do jogo decisivo para o time brasileiro. Antes que a comissão técnica a procurasse, ela bateu no peito, chamou a responsabilidade de ser uma das principais jogadoras do time e pediu para ficar. Pediu para jogar pelo Brasil – no caso, o seu pai, que tem o nome de nosso país.
Da mesma maneira que o time do Vasco, perante o grave caso do seu treinador, Ricardo Gomes, a Seleção tirou da dor o combustível para buscar o título. Uma maneira de homenagear o pai de Maurine.
Mas a principal homenagem estava guardada. Como foi bonito vê-la balançar a rede, se ajoelhar, pensar no pai, e vibrar. Vibrar como se aquele fosse o gol mais importante de sua carreira. Foi como se naquele momento houvesse uma conexão espiritual entre os dois.
Ficou claro o motivo dela ter optado por não regressar ao Brasil. Maurine precisava fazer um gol para dedicar ao seu pai. À memória dele. À dor da família.
“Minha mãe estava chorando quando cheguei em casa”, comentou um camarada meu, Caio Figueira – o Pan. Percebi que não fui só eu que fiquei tocado com a cena. Só mesmo uma pessoa de coração de pedra é capaz de assistir ao lance e não se arrepiar com a cena.
Por isso indico aos leitores do Paixão um dos gols mais emocionantes dos últimos tempos. Quem se interessar pode acompanhar a entrevista que ela deu para a Record, no começo do segundo vídeo.
.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Manchester City veio pra ficar?


Comandado pelo polêmico jogador Mario Balotelli, que marcou duas vezes, o Manchester City atropelou o United no último domingo por 6 a 1, em plena casa adversária. O resultado, além de colocar a equipe na liderança do Campeonato Inglês com cinco pontos de vantagem para o segundo lugar, serve para confirmar que o City hoje figura entres os grandes da Inglaterra.

Por aqui, são considerados grandes Manhcester United, Chelsea, Arsenal e Liverpool. Está cada vez mais claro, porém, que o City não pode mais ser desconsiderado nas previsões sobre a Premier League e a Liga dos Campeões.

O clube começou a dar saltos maiores a partir de 2008, quando foi comprado pelo Abu Dhabi United Group e a generosa injeção de dólares se tornou coisa fácil. O primeiro resultado dos investimentos veio na temporada passada, com o título da Copa da Inglaterra.

Na última janela de transferências, as principais contratações do City foram Agüero e Nasri, que custaram 45 milhões e 28 milhões de euros, respectivamente. O atual elenco está avaliado em 340 milhões de euros. Para se ter uma idéia, o elenco do Manchester United vale 240 milhões de euros.

O que acontece com o City não é fato novo. Fenômeno semelhante aconteceu com o Chelsea, que se tornou grande após a chegada de Roman Abramovich e seus dólares. Resta saber se a enorme quantidade de dinheiro investida no clube dará resultados dentro de campo.

Com milhões em caixa, o Chelsea foi bicampeão da Premier League, mas ainda não conquistou a Europa. Para o City, que não é campeão inglês desde 1968, o título nacional desta temporada já colocaria a equipe entre os grandes da terra da rainha.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Desespero tricolor: O Bombeiro atende por Leão



Sim, caros apaixonados pela redonda, a notícia que foi prontamente repudiada por 11 em cada 10 são-paulinos foi confirmada pela diretoria "mais planejada" do Brasil: Émerson Leão é o novo-técnico do SPFC, com contrato até o fim do ano, estilo Bombeirão, mas com a (temível) possibilidade de renovação para 2012.

Diz João Paulo de Jesus Lopes, braço direito do Coroné JJ, que Leão, que gerou muitas risadas em sua última passagem pela incrível semelhança com o Finado Clodovil, volta para o clube por ter deixado uma ótima imagem na passagem de 2005. Vamos relembrar...

- Foi campeão paulista por pontos corridos...mas abandonou o barco por um estranho "favor inegável a um amigo", dirigente do Vissel Kobe japonês (vide $$$$$).

- Adotou Tardelli como filho, arrumando confusão com Luizão, que só deslanchou após a saída do Chefe.

- Negou a Falcão a possibilidade de tentar realizar seu sonho de brilhar nos gramados. Todo torcedor que foi a qualquer participação de Falcão com a 12 do SPFC lamenta até hoje o fato. Não poderia haver estrela maior que o Comandante do Cabelo Branco.

- O estilo "disciplinador" (leia sempre Mala, Mesquinho, Implicante..) gerou problemas de relacionamento com atletas, comissão técnica e até jardineiro no CT da Barra Funda.

Saldo positivo? Não sei não... as coisas se ajeitaram com a chegada de Paulo Autuori, na conversa, na calmaria, e vieram os títulos da América e do Mundo.

Disse o excelente blogueiro Rica Perrone: Leão vem, ajeita as coisas na marra, o time ganha, mas depois gera ódio, discórdia, sai, e o alívio é tão grande que o time passa a correr de novo e tudo se ajeita. NA MOSCA! Grande aposta da diretoria. Ele deve estar revigorado após mais de 1 ano desempregado, depois de um Péssimo trabalho no Goiás, outro no Sport, outro no Galo...Ah! Parece com Adílson, mal no Corinthians, mal no Santos, mal no Furacão...contratado! Que critério!

Na minha opinião, brincadeira de mau gosto da diretoria que perdeu duas vezes a chance de contratar Dorival Júnior. Resta torcer para o Bombeiro Clô Leão estar com a cabeça fria e preocupado somente em mostrar serviço. Entender de bola, ele entende...

Tite é o grande treinador deste campeonato


“Ele joga junto com o time”, disse Caio Ribeiro durante a transmissão de Internacional e Corinthians, no último domingo. A quem ele se referia, caro leitor? Não poderia ser outro personagem diferente de Adenor Leonador Bacchi, o incomparável Tite.

“Jorrrrrge... Alesssssandro... Aléééééééx”. É assim o jogo todo. Tite não para um minuto na beira do campo. Deixa o time na “pilha”. E o que mais impressiona é a educação do treinador. De sua boca não saí um palavrão sequer. Quando o árbitro chama sua atenção ele simplesmente escuta, com a guarda baixa, e reconhece a autoridade maior do jogo.

Tite é o grande treinador deste campeonato, seguido por Caio Jr. e Abel Braga. Nem o mais fanático e cego torcedor do Corinthians poderia imaginar ver o time comandado pelo gaúcho chegar tão longe. No começo todos diziam: “É cavalo paraguaio”. O fato é que na reta final do Brasileirão o Timão parece estar extremamente focado em ser campeão e neste quesito o dedo do técnico é essencial.

Sei que muitos vão torcer o nariz para este texto, mas contra esta campanha do Corinthians não há argumentos. Em nenhum momento do nacional o time ficou fora das primeiras colocações. Mais do que o Corinthians, Tite merece ser o campeão brasileiro de 2011.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Top 1

Até que enfim o Pan de Guadalajara teve emoção para os brasileiros! O vôlei feminino do Brasil voltou a figurar no alto do pódio panamericano, que por sinal, está muito longe de ser a "Olímpiada das Américas" como dizem os outros. 


E não é de hoje, que vôlei é o esporte número 1 do Brasil. Referência mundial nas quadras e areias, as medalhas nos Jogos Panamericanos e Olímpicos são sempre obrigações. E essa, conquistada contra as cubanas em um complicado 3 a 2, depois de um fácil primeiro set (25 a 15), não é diferente. Com a melhor líbero do mundo, Fabi e as melhores centrais, Fabiana e Thaísa, o Pan já sentia falta do hino verde-amarelo no topo das Américas. (Nossa! Essa primeira parte do texto está muito patriota. Acho que o Maurício Torres me contagiou com o seu transbordar de emoções...)

Já nas areias de José e Chapolin, Juliana e Larissa venceram as donas da casa no tie-break, por 22 a 20, depois de estarem perdendo por cinco pontos de diferença. Haja emoção, Gottino!

Com dois ouros das damas, agora é a vez dos marmanjos. Sem os principais jogadores e sem o comandante Bernaldinho, que estão poupados para garantirem uma vaga em Londres 2012, na Copa do Mundo em novembro, os brasileiros continuam sendo favoritos, mesmo com adversários complicados, como: EUA, Venezuela e Cuba. Além de Alison e Emanuel, nas areias, serem candidatíssimos para a medalha de ouro.

O México é o início do caminho dos tijolos dourados para o vôleyball brasileiro. Certamente conquistarão, no mínimo quatro medalhas em Londres, só nos falta saber a cor delas. Tomara seja igual a dos tijolos!


quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Aniversário de 20 anos do Tri de Ayrton Senna do Brasil

No dia 20 de outubro de 1991, há exatos 20 anos, Ayrton Senna do Brasil levantava o caneco do tricampeonato de Fórmula 1. Há exatos 20 anos, os brasileiros vibravam, em frente à TV, com a vitória do piloto da McLaren em Suzuka, no Japão. Para ser campeão do outro lado do mundo, Senna precisava  evitar a vitória do inglês Nigel Mansell, da Williams. E foi o que fez! Com um jogo de equipe bem planejado, Senna deixou seu companheiro de escuderia, o austríaco Gerhard Berger, ficar na frente. Em segundo, ele seguraria o 'Leão' Mansell, que estava em terceiro. A pressão era grande demais e Mansell peidou na tanga. Ao tentar ultrapassar Senna, ele foi para a caixa de brita. E o brasileiro foi pro pódio. Era o Tri Mundial! Veja: 


Mas a corrida que ficou marcada naquele ano de 91 foi Interlagos. Seria a primeira vitória de Senna no Brasil. O piloto da McLaren fez a pole e segurou a pressão de Mansell. O inglês rodou pouco depois da metade da prova e tudo parecia tranquilo. Mas o carro teve problemas e Senna fez um esforço hercúleo para completar as seis voltas que restavam com apenas a sexta marcha. Foi a mais dramática vitória de sua carreira. E os 70 mil torcedores que estavam nas arquibancadas do circuito paulistano foram ao delírio. Um sonho realizado! Veja a última volta de Ayrton, Ayrton, Ayrton Senna do Brasil (repare a voz ao fundo gritando "eu venci, eu venci"):


Com informações do site: http://www.sennatri.com.br/home/

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Deixem suas PAIXÕES CLUBÍSITICAS ao menos uma vez de lado


Vou abordar o tema Kleber. Para aqueles que já estão saturados do assunto, desde já peço minhas singelas desculpas. Ainda não falamos da nova novela envolvendo o atacante, por isso a necessidade. Abordamos, sim, por diversas vezes, a interminável crise do Palmeiras. O afastamento de Kleber, porém, passou em branco.

Gladiador está afastado e não parece incomodado com o fato. O “Dane-se!” deve passar pelos seus pensamentos quando lembra da situação. A torcida palmeirense hoje o chama de “Judas”, mas já o tratou como o mais fiel apóstolo. A decisão de comprar a briga após o ocorrido com João Vitor e pedir para o time não jogar foi corajosa. Sim, de extrema coragem.

Caro leitor, é o que falta aos nossos jogadores: união entre a classe. A NBA está em greve, o campeonato Espanhol também teve o seu momento de reinvindicação. Há algo mais sério que uma agressão física para os maiores prejudicados tomarem uma radical atitude? Não é de hoje que isso acontece.

Outra pergunta: Qual jogador se pronunciou a favor e comprou a briga de Kleber? Nenhum. Esperam acontecer no seu próprio quintal para irem chorar em frente às câmeras. Deixem suas PAIXÕES CLUBÍSITICAS ao menos uma vez de lado e pensem no lado humano da coisa. Canalhas!

terça-feira, 18 de outubro de 2011

A turma do JJ


Nos últimos sete anos, o São Paulo ganhou tudo que podia. Foram três Brasileiros, uma Libertadores e um Mundial. Em tese, melhor impossível. O leitor deve-se perguntar, por que em tese? Simples, com a equipe absoluta no cenário nacional, ficou impossível concorrer com a trupe de Juvenal Juvêncio, Leco, João Paulo de Jesus Lopes, Júlio César Casares, entre outros.

Para abordar o tema, que começou a me incomodar, conversei por telefone com meu amigo, também jornalista e companheiro de clube, Vitor Birner. Após vinte minutos, tirei algumas conclusões e outras dúvidas permaneceram. Convido o caro leitor a conferir o resultado.

Talvez a primeira vista, a falta oposição não seja um problema tão ruim, até por que muitos clubes sofrem justamente por causa das fortes oposições que tem. O Palmeiras é o maior exemplo do que pode acontecer em um clube onde não se existe nenhuma trégua, ou paz política.

A questão é que pelos lados do Morumbi, não existe oposição. Apenas dois membros atuam fortemente contra JJ & Cia. A falta de concorrentes, parece acomodar o principal mandatário Tricolor, que já não mostra mais a astúcia e sagacidade do tempo em que era diretor de futebol.

Juvenal tem errado em contratações, vendido jogadores sem repor a altura, apostando em técnicos que não vem tendo sucesso. O pior, é que ele nem parece se importar e tem o respaldo da maioria.

Juvenal faz o que bem entende, no comando do Tricolor. A obsessão pelo Morumbi, começa a refletir no time. Só agora a torcida começa a dar indícios de insatisfação e a maioria contra jogadores e técnico.

Recentemente ELE, trocou farpas com Andrés Sanchez, via imprensa, como de fosse DONO do São Paulo e ninguém ligou.

Se até a primeira reeleição da atual situação, os páreos no SPFC, eram sempre muito disputados, agora o que se vê é mais de 90% a favor da chapa do presidente. A única esperança, para uma mudança, é que após o último mandato de JJ, a atual situação se rache e candidatos que ocupam o mesmo lado, sejam rivais.

Resta acreditar, que se o time não voltar as trilhas das vitórias e ficar fora da Libertadores, os mandatários se toquem, mudem a postura ou incomodados comecem a aparecer e se manifestar.

domingo, 16 de outubro de 2011

Loco Abreu desfila sua canalhice para quem quiser ver

Há quanto tempo eles nem ao menos sonhavam com a possibilidade de conquistarem um título nacional. Hoje ela genuinamente real. O torcedor do Botafogo está vivendo um tempo inesperado. Quem diria que o time de Caio Jr. chegaria na reta final do Brasileirão despontando como um dos grandes favoritos ao caneco?

O goleiro é de seleção brasileira. Digo mais: merece ser o novo titular. A dupla de zaga é segura. O lateral-esquerdo também veste a amarelinha. Marcelo Matos e Renato (este não perdeu a técnica refinada) fazem uma dupla de volantes que se completam. Nas pontas dois jogadores interessantes, bons de bola: Elkson e Maicosuel. Na frente, um líder. Mas, para este prefiro me estender um pouco mais.

Já disse Nelson Rodrigues uma vez que “Todo líder é um canalha(!)”. Loco Abreu desfila sua canalhice para quem quiser ver. Dentro de campo é técnico e dono de um posicionamento dentro da área que poucos podem o igualar. Fora das quatro linhas se mostra um homem incomparável, tanto com a torcida do Fogão como para os despreparados repórteres que pensam em o tratar como um qualquer.

Caio Júnior ao chegar ao Fogão disse que sonhava em encontrar 11 titulares. Pois é, ele encontrou. O time deu liga, a torcida quer o título, até porque o único clube grande carioca que não foi campão nacional nos últimos anos é justamente o da estrela solitária.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Chávez em festa


Imagine torcer por uma seleção que nunca foi a uma Copa do Mundo. Continue imaginando, o futebol evoluiu, sua seleção passou de saco de pancadas para um rival difícil e depois de muitos anos, essa seleção tem a sua grande chance de carimbar o passaporte para uma Copa do Mundo. Esta é a Venezuela.

Os Vinhos Tintos, que até outrora nunca haviam sonhado em comemorar uma vitória sobre os tradicionais Brasil e Argentina, bateram a seleção Canarinho, fizeram uma respeitável e honrada Copa América, terminando na frente dos gigantes do continente e para completar a festa, nesta semana, derrotaram os hermanos.

Se a eliminatória não conta com o Brasil e parece que as classificações de Uruguai, Argentina e Paraguai são favas contadas, os venezuelanos disputam sim, de igual para igual, com todas as outras seleções uma vaga para o mundial de 2014.

Na contramão de Brasil e Argentina que buscam a renovação e não conseguem se acertar, a Venezuela vem mostrando um futebol em constante crescente e como azarão em total clima de festa pode ser a surpresa em 2014, será?

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Villas-Boas pode ser o próximo Alex Ferguson?


O presidente do Chelsea, Bruce Buck, disse em recentemente entrevista à rádio BBC que o técnico português André Villas-Boas é o homem certo para permanecer no comando dos Blues pelos próximos dez ou 15 anos.

Algo impensado no Brasil, a permanência por tanto tempo de um mesmo técnico no comando de uma equipe é uma realidade na Inglaterra. Exemplos clássicos: Alex Ferguson (25 anos de Manchester United) e Arsene Wenger (15 anos de Arsenal).

"Invejamos a longevidade de Arsene Wenger no Arsenal e Sir Alex Ferguson no Manchester United, mas não pode ser longevidade por si só. Tem de ser a pessoa certa para o trabalho durar dez ou 15 anos. E o André poderá ser essa pessoa", afirmou Buck.

Desde que o russo Roman Abramovich comprou o Chelsea, em 2003, sete treinadores comandaram a equipe, contando Villas-Boas. Quem permaneceu mais tempo no cargo foi José Mourinho, que em três temporadas foi bicampeão inglês.

Qualidades não faltam para Villas-Boas, que está apenas em seu terceiro ano como treinador principal e, na temporada passada, ganhou tudo o que podia no comando do Porto (Campeonato Português, Taça de Portugal, Supertaça e Liga Europa).

Ele é um técnico jovem, tem apenas 34 anos, e parece conservar a ousadia e a inteligência de seu tutor, José Mourinho. Para o discípulo superar o mestre ainda falta muito chão, mas pelo menos Villas-Boas é menos arrogante do que o muitas vezes insuportável Mou.

Fato é que ele vai precisar de resultados para se manter no cargo. E todos sabem que a grande obsessão do milionário Abramovich é a Liga dos Campeões. O russo não poupa esforços nem dinheiro para contratar grandes jogadores e conquistar de vez a tão sonhada Champions League.

Até agora, Villas-Boas tem se saído bem. O Chelsea lidera o Grupo E da Liga dos Campeões e aparece na terceira colocação do Campeonato Inglês, com 16 pontos, atrás de Manchester United e Manchester City, ambos com 19.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

"Para nós és sempre um time campeão"

Hoje é dia de voltarmos aos séculos XVIII e XIX, quando a metrópole Portugal prevalecia sobre o Brasil colônia. No Canindé, os lusitanos serão regidos pelo fado e abastecidos por centenas de bolinhos de bacalhau. A "querida" Lusa subirá para a Primeira Divisão do Campeonato Nacional se ganhar do itinerante Boa Esporte. 

Para homenagear o acesso da Portuguesa em uma Série B que ganhou mais status depois dos títulos de Atlético-MG, Corinthians e Vasco, realizei com Rafael Regis, Pedro Sciarotta e Eduardo Ribeiro um vídeo, para a PUC-SP, sobre os bastidores de uma cobertura esportiva, no duelo dos "portugas" com o Paraná, pela 21ª Rodada.

Vale a pena conferir o vídeo com entrevistas de Everaldo Marques, Zé Boquinha e cia!



Como é bom ver a Lusa na Primeirona

A Lusa vai subir
Torcedores e fanáticos pela Portuguesa, agora é a nossa vez!

Depois de mais de quatro anos sem uma conquista expressiva, a Lusa pode levantar o caneco da Série B do Brasileirão.

Muitos dirão que uma conquista de Segunda Divisão não tem expressão nenhuma.

Mas para um time que dificilmente vencerá um torneio na elite do futebol brasileiro, uma conquista na Série B é algo realmente importante.

Difícil evitar a euforia. Pergunte aos torcedores se não haverá comemoração.

A última vez em que a Associação Portuguesa de Desportos ergueu um troféu foi em 2007, na Série A2 do Paulistão (a segunda divisão do Campeonato Paulista).

Por isso, preparem os rojões: a Lusa vem aí.

Com uma campanha regular e digna de time grande, basta uma vitória para a equipe rubro-verde, que lidera isoladamente a Segundona, subir. Tudo isso, é claro, com base nas edições anteriores.

Mas o que nós queremos mesmo, além do acesso, é o título!

Que é ótimo para a Portuguesa e bom para os times paulistas.

Além de fortalecer o Brasileirão com mais um time tradicional, o acesso faz com que Palmeiras, Santos, Corinthians e São Paulo joguem mais duas partida no estado e, provavelmente, arrecadem mais.

Afinal, estamos tratando de clássicos.

Duelo desta terça-feira

O jogo contra o Boa Esporte é de festa. A Portuguesa está com um pé na elite. Falta pouco.

Mas, conhecendo a Lusa, arriscaria meu palpite num empate na noite desta terça, no Canindé. Espero que eu esteja errado.

Mesmo assim: força, BarceLusa! Estamos com você.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Adriano será capaz de decidir para o Timão?


“Ele tem cheiro de gol”, definiu Danilo. E ele não está nada enganado. O Corinthians tem dez jogos pela frente. Decisão atrás de decisão. E nada melhor do que reassumir a liderança e contar com um trunfo deste para levantar o caneco.

Adriano é o ‘zap’ alvinegro e o Corinthians está louco para colocar ele na testa dos rivais. Afinal, a contratação do centroavante foi acompanhada de muito questionamento – inclusive por boa parte da torcida corintiana. Mas os adversários não questionaram não, tripudiaram, tiraram onda, principalmente depois da contusão do tendão.

Mas agora o Imperador está com fome, está disponível e quer de qualquer maneira calar a boca dos críticos. Infelizmente, essa parece até ser a maior das motivações para o atacante. No entanto, agora perguntamos o que ele pode fazer dentro de campo.

Em forma, não há como negar o quanto o homem é fundamental. Há que torça para que ele possa abocanhar a camisa 9 amarelinha. Eu não vou ousar desconfiar de Adriano. Gordo, lento ou sem ritmo de jogo. A única certeza que tenho, é que o homem não passará em branco até o final do Brasileirão. E na hora que a rede balançar, amigo, o cara estará prestes a entrar em ebulição. E Adriano com tesão é difícil de segurar.

Salão Duas Rodas

Motos dos mais variados modelos, mulheres bonitas e muitos curiosos. Com este cenário o Salão Duas Rodas agitou o Anhembi. O Paixão Clubística esteve no evento e registrou algumas imagens.

domingo, 9 de outubro de 2011

Revanche!? Tenta a sorte Sonnen


Confesso que antes de entrar na RedeTV, eu não gostava de UFC, mas com o contato diário e a necessidade de ter que entrevistar os principais nomes da modalidade, a admiração e gosto pelo MMA foram questão de tempo.

Hoje em dia, uma boa luta já me faz trocar qualquer balada pelo UFC. Por isso, nada melhor que um texto sobre a modalidade.

Na noite deste último sábado, tivemos um evento espetacular, com ótimas lutas. Aldo manteve o cinturão, em combate onde foi extremamente superior ao adversário, Kenny Florian. Na luta principal da noite, Frank Edgar também manteve seu cinturão, ao nocautear com muita propriedade, o adversário Gray Maynard, no quarto assalto de luta muito equilibrada.

Mesmo com duas defesas de cinturão, o momento principal foi propiciado pelo lutador que causa raiva aos brasileiros, Chael Sonnen. Depois de insinuar que no Brasil se servem drogas na merenda e sempre menosprezar os lutadores da pátria, o americano que deveria ter o apelido de O “marqueteiro arrogante”, pegou o microfone após ganhar de Brian Stanin e olhando fixo para Anderson Silva, proferiu palavras de baixo calão para o melhor do mundo e lançou o desafio eu quero uma revanche, se eu ganhar você deixa a categoria, se você ganhar eu deixo o UFC”.

Neste domingo, Dana White já se mostrou a favor da revanche. O americano, que tem um Wrestling como poucos, fez o brasileiro sofrer no primeiro confronto entre ambos, mas foi finalizado em belíssimo triângulo de Spider. Após o combate, foi constatado que Sonnen estava dopado e Anderson com a costela machucada.
Apenas uma palavra, em nome de todos os brasileiros, que venha Sonnen de novo. Vai pra cima dele Spider.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...